15 de jun de 2010

Vou cessar as sensações
os sentimentos.
Ao menos, por um momento.
Não vou levar a vida tão a sério.
Só quero ser o meu maior mistério.
Entender o que faz duer.
Se perder um sentimento
ou deixar um sentimento se perder.
Na duvida, melhor viver.
Tudo já foi eaquecido
mas é melhor não lembrar.
E tudo assim tem sido
mas não tenho sido eu.
Esqueço de me encontrar.
Encontro o que se perdeu.
E quem me traz de volta
não espera resposta
se despede e nada pede.
Tudo se renova em mim
E quero ficar assim.
Um pouco mais comum, mais igual
um tanto estranho.
Em tudo que perco.
Eu também ganho.
Só queria sentir
me fazer sentir.
Sem saber onde ir,me sinto tão frio
eu sinto tanto frio.
Queria ser um pouco mais de mim.
Queria ver, e um pouco mais ouvir.
Sei que tudo um dia passa
e o resto um sorriso disfarça.
Não existe tempo que não possa apagar.
Tudo se renova em outra certeza
tão forte,que pode provar.
E se eu subi tão alto
não quero que me alcançe.
Se perde em um romance
mas se encontra em outra chance
E agora só o que ficar.
As minhas lagrimas quero ofertar.
Com nosso sangue, sobre seu altar.
Eu me escondo, mas não deixe de me buscar.
estou tão longe que nem me vejo mais.
Mas eu volto
Só não olho pra trás.
Espero que não saiba
que não cabe mais.
Não busque nos escombros sua paz.
Estou aqui sem pressa
e anciosamente espero.
Quero poder dizer tudo o que não quero.
Se alguém sentir a presença da minha falta
entenda que quando o encanto foi embora
levei comigo nossa história
e nada mais ficou.
Do futuro que metirou
me devolveu em vida
a chance de saber que não sou o fim
que a cada dia sou um novo começo.
Alguém que tenha o sol que mereço
o mesmo sol que ofereço
um sol pra compartilhar.
Um só
no mesmo olhar.

13 de jun de 2010

Eu não pertenço,eu não quero esta euforia
tudo oque eu quero,já não queria.
O que mais pode pulsar, impulssionar a verdade?
Tão pouca a nossa vontade.
O que divide? O que te deixa de lado?
este lado obscuro.
No meu deserto este muro.
No meu presente, teu passado
que me segura, que te procura
que me faz flutuar
e me empurra pra este lugar
calmo e escuro, que não tem oque encontrar.
Falta pouco, mas falta tanto
em outro canto, o mesmo que faltar.
Se me dissolvo tanto e ainda estou aqui
deve mesmo haver uma grandeza, uma imensidão.
O que não se desenvolve em um coração.
Tem seu espaço, no que faz sentir.
Na sua ausência sombria
a decepção de cada alegria.
Tentar encontrar na solidãoe, na dor
a verdadeira compania.
Que não abandona
que entende, que suporta
que transforma.
E espera a proxima vez.

6 de jun de 2010

É quando cheira uma flor
onde esconde o amor
e oque mais aparecer.
Em tudo um sonhador
tocar o fruto e se perder
encontrar mais doque responder.
É assim que volta
de qualquer modo, molda, volta.
Tem cheiro e sabor, tem cor, tem volta.
Passar por perto, em branco
Passar e sorrir, um encanto.
Compartilhar o que viveu
Contemplar o sonho que perdeu.
Esperando a vez chegar.
Ter tudo, e nada pra provar.
Provar o som, a vida, a luz
Ter um irmão, um camino e uma cruz.
Cruzar os ventos, os tormentos.
E se oque ficar é pouco
é o troco que levou.
E o tanto que tentar
é oque volta pra buscar
Se nada é uma certeza
de certo é o que se foi
o que não tem mais.
Uma sensibilidade, uma força
uma parte, que não parte jamais.
É percorrer cada beco, buscar um novo começo.
A mesma luta em vão.
Se tudo muda
nada transfoma um coração
que só quer existir, um olhar, um sorriso
Que seja real.
Tudo oque vivo não me afasta esse mal
que me culpa, que te esconde
que me leva, que te trás
que te leva, que me trai.
E quando invade, só não quero que acabe.
É tão forte que me prende nesse tempo
me arrasta pra este escuro.
mas eu quero, eu procuro, nele enconto voce.
Encontro o vazio, oque não me conforta.
Mas nem me importa, já posso querer.
É tão forte o que não deixa esquecer.
O sonho que volte, não deixe esquecer.
São lagrimas o que um sorriso esconde
E sobre os montes estarei ali em pé.
Eu busco a fonte, a verdade, a minha fé.
Se ser um anjo é ser humano, então recomeçar.
O que te derruba, te levanta, apenas sonhar.
E acaba pra sempre, mas prea sempre lembrar.
Se fosse assim tão simples
flores seriam tudo.
Apenas a rotina do impossível, que apaga tudo.
E quando a luz retorna, ilumina nosso mundo
E já não existe passado.
Saber esperar, ou tentar entender
e o tempo esgotado.
Se fosse assim tão simples
uma brisa do mar.
Apenas os caminhos e os destinos
Se a luz se apagar.

5 de jun de 2010

Se uma verdade é um risco
É do risco que preciso
Se por acaso eu vivo
São as idéias que eu sigo.
E por instinto eu vou procurar
A saudade me faz despertar.
A realidade que me liberta, me anula, me ocupa.
Essa sobriedade não me trás paz.
Em paz demais
ficam os gritos perdidos.
Quero minha loucura
Suave, serena, brilhante.
Eu quero o antes, renovado em mim
Eu quero um instante, que me perturbe
que te confunda, te iluda.
que me faça ser, que me aprofunda
que faz mais de mim.
Só não me deixe aqui
E me surpreenda, sempre
Não conhece um atalho
Da tantas voltas
Se sente perdido, acuado
Não sabe o que conseguiu
Destrói o que consstruiu
E tão pouco um dom despertou.
A culpa ilude o medo
e o momento que chegou.
É tanta coisa que ficou
No sonho voltar.
Trazer a esperança, a cor, oque desejar.
É um novo ator, que tão cedo cansou
Desafia a vida, que não pôde atuar
não pôde viver.
Não pôde ser a ferida, ser o anjo
que arranca uma flor, que fere todo um jardim
Se despedaça o amor
Quanto mais perto do fim.
O que é de verdade
de verdade faz assim
chamar a atenção, dizer que está aqui.
Se expressar, fazer algo valer.
Ser visto, ouvido, ser vivo. Ser
Um pequena parte resiste
Acorda, existe.
Se há vida, aqui estamos.
É um desejo,onde eu chego, onde eu vejo
tudo oque posso enxergar.
E não se perca mais.
O que te cansa, te leva pra trás.
Esperança é paz.
E vem com o ar, vem crescer.
Tudo o que faz parte de voce.
Tenta se enfrentar, mas não se encontra
É tão vazio este lugar.
Não sente o amor, não vê o mundo.
Só uma estrada, um poço fundo.
Não estaria aqui, se não precisasse tanto
Se não fosse tudo.

Momento

Ensaio movimentos
Transporto os pensamentos
Deixo só, o meu momento.
Recuar um pouco mais
A espera que nunca traz.
Tudo tão intenso e calmo demais
A cada toque um novo extremo
Um impulsso, que te leva pro mesmo.
O medo, de quem não sabe o que temer.
Num delírio se encontra
pra tentar se perder.
Correr com o mundo
e descansar sozinho.
Na insegurança, o frio é vizinho.
Mas quem inventou o caminho?
Quem procura outro lugar?
Em qualquer canto
Espaço pra sonhar.

Esquecer

Queria ter o que contar
Boas histórias pra lembrar
sem ter que me calar.
Contos de amor, desejos de prazer
tudo o que possa tocar.
Algo que corresponda,que preencha todo um vão
E que não seja em vão
que derrame toda emoção.
Se é ter e não saber, querer e não poder
Amar e desperdiçar.
Aonde foi que eu perdi?
Aonde deixei de ganhar?
E faz tanta falta
Oque mais vai me faltar?
É olhando bem longe que posso ver
que de tudo o que eu fujo
Só não escapo do que tento esquecer.

Busca

Fantasias de um mito
Aventuras em um sonho
Insanidades de uma dor
A esperança, há muito eaquecida
Se faz percebida
e acaba de perder.
Na longa distância, que agora infinita distância
Se faz esquecer.
É todo um céu
Um imenso mar
É todo um mundo
É tudo o que não volta mais.
Os pensamentos, as lembranças, o sentimento que faz
Mesmo quando não há mais.
Mas quando cai o mundo, e leva tudo
Só deixa a verdade, e nem saudade quer mais.
É só o vazio, e nem sabe o que sentir.
Não sabe onde chegar, não vê saída, aonde se encontrar.
Talvez uma nova brisa, outro ar pra respirar.
Um novo sonho
Em um outro mar.

O mar

Ja quero outra aventuta também
Uma nova emoção, emocionar alguém
Um brilho novo, uma nova canção
Mas toda a calmaria chega ao fim
Este mar a noite, é sempre assim
O mar revolto que desagua em mim.
É sempre assim...
Longe o bastante e tão perto de mim
Aonde eu encontro voce
Aonde vejo voce
Que tão sozinha sente na esquina adormecer.
Quem me dera que por um dia, eu esteja em sua alegria
E a agonia, seja agora um novo sol;
E já tão só, uma sombra invade
E torna magico tudo oque é real.
E quando a luz ilumina
Nos olhos que brilha
A esperança de um dia.
E pode ser um dia.
A noite que vem
Que vem
Que trás.

Verdade

É verdade demais
É tudo o que não entende
É oque fica atras
O que olha de frente
Não sabe se está
Ou se volta pra lembrar.
Se é novo,um novo lugar
Que imovel,não sabe parar.
Se estar é perder
Toda a sorte pra esquecer.
O que perde no caminho e no tempo
E o que ainda tenta encontrar.
São os vestígios no vento
São pra vida o ar
Menos do que precisa
Bem mais do que encontrar