31 de mar de 2011

Tento seguir em frente, tento entender o que se sente
quando não ha mais o que sentir, onde seguir.
Envolto ao vazio não pode encontrar.
E quando se mostra um caminho
procura um outro lugar.
Me expondo, eu me escondo ainda mais.
E o que não cabe mais
se esconde atrás
de um olhar sem brilho, de uma chuva de verão.
Só um passo na escuridão.
Ocultando toda e qualquer magia, que um sonho encantou.
E tudo parou...
Na mesma estrada...
Que se encontra em cada madrugada
oposto a tudo que lhe cai bem
com todos, ou com ninguém.
Quem sabe poder entender
que em meio a palavras
uma lagrima surpreender

Nenhum comentário:

Postar um comentário